Escribas góticos

Um dos divertimentos dos escribas góticos era a criação de versos empregando um número mínimo de letras. Alguns exemplos que sobreviveram são baseados no uso do I, do M, do N, do U e do V (U e V eram representados pelo mesmo caractere).


O texto acima é de uma carta escrita por atores para ser enviada ao senado romano. A carta expressa o desejo dos atores de que continue a distribuição de vinhos adquiridos em vinhedos particulares, próximos às muralhas (que assinalavam os limites do império Romano): “mimi numinum nivium minimi munium nimium vini munimium imminui vivi minimum volunt” (Os pequeninos bufões dos deuses da neve não querem que, durante suas vidas, a grande carga de vinho das muralhas seja atenuada).

2 comentários:

cláudia jussan disse...

nusga! mas também podia ser o ioioioioioio da época, não?rsrs

contato@angelomazzuchelli.com disse...

Por falar em ioioioioio..., uns caras usavam nononononono... dava muito mais trabalho né? Afinal, layout era a mão...